sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A História da Pré-História







INTRODUÇÃO

A Pré-História compreende o período da História humana em que a escrita ainda não havia sido inventada (este fato ocorreu apenas por volta de 4000 a.C.). Sendo assim, a Pré-História é o maior período histórico da humanidade, abrangendo praticamente 95% do tempo total, tendo se iniciado há cerca de 4,5 milhões de anos com os primeiros hominídeos.
Para muitos Historiadores a denominação "Pré-História" é incorreta, pois não existe uma anterioridade à História, e sim à escrita, além do mais, tudo o que existe faz e tem uma história, independentemente dela ser registrada ou não. “A história [...] faz-se, sem dúvida, com documentos escritos. Quando os há. Mas pode fazer-se, deve fazer-se, sem documentos escritos, se estes não existirem” (Febvre, Lucien. Apud Carmo, Sônia Irene do. 1994. p. 13).
Relevando ainda que a escrita só teve ampla expansão no período das grandes navegações, e tomando o caso do Brasil como exemplo, pode-se dizer que o período Pré-Histórico aqui se estendeu até o início da Idade Moderna, pois foi com a chegada dos portugueses ao Brasil em 1500 que os povos que já habitavam esta terra passaram a ser alfabetizados. Isto não quer dizer que antes deste fato eles não possuíam uma História.
Sendo que não há documentos pré-históricos escritos relatando a evolução humana, tudo o que sabemos dos Homens que viveram neste tempo é resultado de pesquisas de antropólogos, historiadores e de outros cientistas e dos estudos da moderna ciência arqueológica, que reconstituíram a cultura e o modo de vida do homem. Este conhecimento resulta da análise de restos humanos e utensílios preservados para determinar o que acontecia, dentre outros subsídios. Pelos critérios da Arqueologia, a Pré-História é dividida em três períodos: o Paleolítico ou Período da Pedra Lascada, o Neolítico ou Período da Pedra Polida e a Idade dos Metais.

PERÍODO PALEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA LASCADA

Paleolítico é um termo criado no século XIX para definir o período mais antigo e mais longo da História da Humanidade. Apesar de os primeiros hominídeos terem aparecido há 4,5 milhões de anos, foi somente por volta de 2,5 milhões de anos atrás que surgiu a espécie conhecida como Homo habilis, que foi provavelmente o primeiro hominídeo que fabricou ferramentas e artefatos líticos e que caracterizou este período pré-histórico.
Portanto, o Paleolítico teve início cerca de 4,5 milhões de anos atrás e se estendeu até a época em que a agricultura e a pecuária transformaram-se nas atividades principais do homem, ao fim da última época glacial, há cerca de 10 000 anos.
Durante o Paleolítico, o Homem vivia da exploração dos recursos silvestres. As atividades de subsistência resumiam-se à pesca, à caça e à coleta de vegetais. A unidade social básica devia ser o bando, isto é, um agrupamento pequeno (25 pessoas em média) formado pela união voluntária de famílias onde não havia classes sociais e a única forma de autoridade pertencia aos parentes mais velhos e todos os membros do grupo tinham os mesmos direitos e deveres. A chefia do grupo era somente temporária e cessava assim que terminasse a tarefa à qual se destinava.
Estes grupos eram nômades, ou seja, deslocavam-se regularmente em busca de alimentos quando estes se tornavam escassos no território em que ocupavam. Isto porque ainda não haviam desenvolvido a agricultura e nem a criação de animais. Porém, procuravam viver sempre em cavernas ou choupanas próximas aos vales férteis e em locais onde a caça fosse abundante.
O fogo representa uma descoberta muito importante deste período. Segundo os historiadores, teria ocorrido há mais ou menos 500 000 anos, nas terras vulcânicas dos vales da África oriental. Passaram a utilizá-lo para aquecer-se do frio, iluminar a noite, defender-se dos animais, cozinhar os alimentos e, bem mais tarde, para cozer a argila e fundir os metais. A relação da espécie humana com seu ambiente natural foi transformada a partir da descoberta do fogo.

PERÍODO NEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA POLIDA

Entre o final do Paleolítico e o início do Neolítico, houve um período de transição: o período Mesolítico. A passagem do Mesolítico para o Neolítico deu-se entre 15 e 10 000 a.C. Nesta fase, a Terra começava a adquirir suas características atuais, com o fim da última era glacial.
O Homem foi abandonando a vida de caçador e coletor e começou a cultivar cereais e a domesticar animais. As primeiras formas de agricultura se deram pelo cultivo de tubérculos, frutas e hortaliças. A domesticação de animais parece ser resultado do hábito de os caçadores trazerem filhotes de animais selvagens para seus filhos. O pastoreio talvez tenha surgido da domesticação de animais por lavradores, que deles se valiam para alimentação (leite e carne), vestuário (peles) e como força de tração (para puxar objetos pesados ou arar a terra). O desenvolvimento das forças produtivas no Neolítico libertou o Homem da absoluta dependência da natureza. Com a expansão da agricultura, saiu em busca de terras férteis, disseminando a Revolução Neolítica. Possivelmente desenvolveu-se técnicas de observação dos astros para se localizarem no tempo. Segundo pesquisas arqueológicas, as primeiras manifestações de transformação do Paleolítico para o Neolítico deram-se no Oriente Médio, onde atualmente se situam Israel (Palestina), Síria, Líbano, Iraque (antiga Mesopotâmia) e Irã.
No período Neolítico, a terra, os rebanhos e os instrumentos de trabalho eram de propriedade de toda a comunidade.

Não havia distinção social entre os membros do grupo: todos trabalhavam e o produto era consumido igualmente por todos. Havia somente uma divisão sexual do trabalho: as mulheres teciam, cuidavam das plantações e faziam cestos, enquanto os homens cuidavam dos animais e construíam casas e paliçadas. A necessidade de se defender levou à formação de grupos sociais mais complexos: as tribos.
Uma das grandes invenções do período Neolítico foi a cerâmica, que melhorou a qualidade da alimentação do homem primitivo: com os potes de cerâmica, era possível armazenar alimentos, ou cozinhá-los misturados, aproveitando melhor suas qualidades. Também teve início a construção de casas de barro, junco ou madeira. Os instrumentos eram ainda feitos de pedra ou osso, mas recebiam um acabamento: eram polidos na areia, até adquirir formas mais úteis e harmoniosas. “Era feita a escolha de uma rocha a ser trabalhada, pois nem todas as rochas se prestam ao lascamento [...] os arenitos desintegram-se facilmente e alguns basaltos produzem acidentes de lascamento indesejáveis” (PALESTRINI, Luciana. 1980. p. 29.).
O Homem do Neolítico cultuava deusas da fecundidade, relacionando-as à semeadura e à colheita. Os próprios elementos da natureza eram considerados divindades. Cultuava os mortos, como indicam descobertas arqueológicas de vasilhas e vestimentas encontradas em tumbas, além de materiais que, possivelmente, pertenciam ao morto. “Os mortos eram cuidadosamente enterrados em túmulos construídos ou escavados, agrupados em cemitérios próximos da aldeia ou abertos próximos das casas individuais. Normalmente os mortos são abastecidos de utensílios ou armas, vasos para bebida e comida [...]” (CHILDE, Gordon. 1978. p. 108.).
No final do Neolítico (5000-4000 a.C.). o homem abandonou os instrumentos de osso e pedra e passou a utilizar metais moles, como o cobre, que podiam ser trabalhados a frio. Começou a Idade dos Metais. Quase simultaneamente, no Egito, surgiram os primeiros registros escritos. Estava nascendo a civilização.

IDADE DOS METAIS E O INÍCIO DOS NOVOS TEMPOS

Por volta de 5000 a 4000 a. C., o Homem adquiriu os seus primeiros conhecimentos sobre a técnica de fundir, ou derreter, metais. O primeiro metal utilizado foi o cobre. De início era martelado a frio, depois fundido no fogo e moldado em fôrmas de barro ou de pedra. Sendo um metal mole, não substituiu totalmente a pedra. Mais tarde (2000 a. C.), o homem descobriu a liga do cobre com o estanho, obtendo o bronze, que é um metal mais duro. Por causa disso, o bronze foi muito utilizado na fabricação de lanças, espadas, capacetes, ferramentas e objetos de adorno. Neste período desenvolveu-se a escrita, sendo que a sua invenção é atribuída pelos arqueólogos aos sumérios (4000 a 1900 a. C.), conhecida como escrita cuneiforme.
Por volta de 4000 anos atrás, iniciou-se também a produção de artefatos de ferro, com resistência ainda maior que os de bronze. A fabricação do ferro tornou possível a produção de armas mais poderosas, que passaram a ser empregadas nas guerras pela conquista de territórios férteis e de riquezas dos povos vizinhos.
Neste período foi inventada a roda e os canais de irrigação e também o arado. Isto fez com que houvesse um aumento na produção agrícola, o que provocou a sobra de produtos. Foi então que estas sobras passaram a ser trocadas com outros grupos, dando origem ao comércio. Mais tarde, animais e metais foram utilizados como moeda.
A população foi aumentando e novas profissões foram necessariamente sendo criadas. Passou a existir classes sociais, propriedades privadas, domínio de alguns sobre os demais. Para evitar prováveis conflitos sociais e para manter a ordem econômica, surgiu uma nova instituição, que marcou a passagem da Pré-História para a civilização: o Estado.

REFERÊNCIAS
CHILDE, Gordon. A evolução cultural do homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
FEBVRE, Lucien. Apud Carmo, Sônia Irene do. História Passado Presente 2ª. ed. São Paulo: Atual Editora, 1994.
PALESTRINI, Luciana. Arqueologia pré-histórica brasileira. São Paulo: USP, 1980.


Esse estudo nos revelou que não existe muito conhecimento sobre a Pré-História. O pouco que se sabe desta longa e rica fase histórica da Humanidade é apenas fundamentado em hipóteses e de algumas convicções, muitas vezes temporárias, até que outras seguintes sejam descobertas. Isto ocorre porque os povos primitivos não haviam desenvolvido a escrita, justamente por isso esta época assim é denominada. Apesar disso, foi uma fase em que houve uma grande revolução histórica do mundo de forma geral, o que contraria o termo “Pré-História”, pois a História já estava sendo feita, apesar de não estar sendo escrita. Tanto é que o que aprendemos sobre a Pré-História é resultado de estudos de fósseis e de outros vestígios, como utensílios e pinturas em cavernas.
No entanto, estudar este período é importante para que saibamos como surgiram determinadas atividades, costumes, culturas, usos e valores perpetuados até hoje: domesticar e criar animais é uma atividade que se desenvolveu primitivamente, assim como cultivar plantas e vegetais, dividir o trabalho para melhorar o rendimento, respeitar autoridades ou lutar por posses, além de terem desenvolvido a linguagem para se comunicar, a pintura para se expressarem; o fogo e a roda que são grandiosas heranças, o convívio social que é o que nos torna Humanos, enfim, estas certamente são grandes contribuições deixadas por nossos ancestrais.
Porém, a maior de todas as colaborações, talvez a maior lição que os povos primitivos deixaram para suas gerações seguintes, seja a importância de registrar fatos, pois cada momento é único, nós somos únicos, e nós, querendo ou não, cientes ou não disto, a cada instante construímos uma história. A história de cada indivíduo somada a de outros indivíduos torna-se a História da Humanidade. Tudo o que fazemos é história e torna-se História, o tempo não pode apagar, apenas construir.

Professor Josimar Tais
INDICAÇÃO DE FILMES:
A GUERRA DO FOGO (100' --1981)
RRRrrrr!!! - Na Idade da Pedra (98' -- 2004)
10.000 A.C. (109' -- 2008)
Deixe seus comentários no blog e obrigado pela visita.

10 comentários:

Anônimo disse...

ótima postagem, me ajudando muito no trabalho da escola. fernando, campinas, sp

Anônimo disse...

Olá Josimar...
Como você comentou no meu blog, a democracia é realmente a grande experiência política da humanidade. Estar vivendo este período de democratização é sem dúvida motivo de grande alegria...
Parabéns pelo teu blog e pelos textos postados!!!!
Abraços! Nilton

Conceição disse...

Faço o 4º ano de Teologia e sua ajuda foi de enorme valia.É de postagens abençoadas como está, que precisamos.

Anônimo disse...

Parabens e obrigada seu blog me ajudou mto em uma pesquisa escolar

joyce maria disse...

é valew mesmo me ajudou bastante para estudar para prova!!!

Anônimo disse...

Olá,
Muito bons esses seus posts!!! Mas que tal você escrever mas sobre o Brasil e deixar as outras coisas de lado?
Isso é só uma sugestão minha,mas se não quiser fazer, vou continuar a admirar seu blog.
Ah! Mais uma coisa:mais imagens por favor!
Muito obrigada,
Anônima.

Eduardo disse...

Parabéns pelo post, muito util.
Abs

Eduardo
Sao Paulo, Sp

Anônimo disse...

muito bom o seu blog me ajudou mto para o meu trabalho de historia obg

rio grande do sul
nova bassano
cristina =

Anônimo disse...

valeu seu blog me ajudo muito a tira 10

remetente:henrique

Fernanda Vago THG disse...

Obrigada, ajudou bastante no meu trabalho de história.
Fernanda Vago Olmo
ES